Criminosos armados invadiram a Unidade Prisional de Indiara, no sul de Goiás, na madrugada deste domingo (27/03), e resgataram seis detentos. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), dois agentes prisionais que faziam a segurança foram rendidos e mantidos reféns durante a ação. Eles foram libertados ilesos. Pois bem o www.indiaranews.com.br , postou informações recente sobre a carceragem “ Superlotação na cadeia pública e sistema fálido” , pois é evidente que a cadeia pública de Indiara está superlotada com quatro vezes o número exigido. E isto tem tornado um barril de pólvora onde as autoridades competentes deveriam terem ciência que estariam prestes a explodirem. Mais o que se viu na madrugada deste domingo de páscoa foi o resgate audaciosos de bandidos que adentraram na cadeia pública e resgataram seis criminosos que em tese deveriam estarem num presidio que por força maior e de lei estavam na cadeia local. Agora o sistema prisional está falindo, pois no interior, cidades pequenas também sentem o reflexo dessa desestrutura física e operacional. Indiara é exemplo dessa superlotação de detentos, onde a pressão psicológica vai a mil. E a Insegurança tende a aumentar. Até lá a comunidade fica a mercê de investimentos e alteração na lei. Indiara está com números de detentos muito além de sua capacidade. A função deste trabalho é mostrar a realidade vivida hoje, no sistema prisional, onde quase diariamente a mídia publica matéria sobre rebeliões em presídios. Sentenciados que são mortos por seus próprios companheiros, funcionários e familiares de detentos transformados em reféns, resgates e fugas audaciosas e espetaculares praticadas por criminosos. As regras nem sempre são cumpridas e a aplicação penal nem sempre é imposta de maneira adequada, pois hoje em dia o preso é esquecido, a corrupção dentro das cadeias e penitenciarias cresce de maneira assustadora e ainda para piorar mais a situação, as facções se estendem dentro e fora dos presídios. Infelizmente estamos nos habituando num processo de caos, onde o que ocorre é a falência e desestruturação do sistema carcerário. O descaso dos governantes, a falta de estrutura, a superlotação, a inexistência de um trabalho para a recuperação do detento. Assim é nosso sistema, promessas e nada de recompensas. Mas também não devemos nos esquecer que o Congresso Nacional infelizmente tem aprovado, atendendo à pressão da área de direitos humanos do Governo Federal e das notórias organizações não-governamentais que atuam no País, leis que cada vez mais afrouxam o Código Penal, mas principalmente a Lei de Execuções Penais. Com isso, cada vez mais os privilégios foram pouco a pouco incorporados ao rol de direitos mínimos que todo recluso tem de ter, a ponto de banir do sistema penitenciário todo resquício de exercício da autoridade pública, seguido também pelo alto grau de corrupção existente no sistema. Segundo o diretor Silva, além do inquérito policial, será instaurada uma sindicância administrativa no presídio para apurar as circunstâncias da fuga. Que se apure e que de uma resposta a nossa sociedade, pois não podemos viver esta incerteza de responsabilidades e de atos praticados ou não. Enquanto isso a reportagem espera que seja divulgado o nome dos fugitivos e retrato falado. Aqui uma foto similar mostrando a realidade das cadeias públicas superlotadas.

1 Visitas hoje!
7 Total de visitas!
COMPARTILHAR

Responder

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui