Dois anos fez no último dia 04/03/2016, após o desaparecimento de Emivaldo Brayan, na época com 4 anos de idade, os avós do menino se revoltaramm com a falta de respostas sobre o que aconteceu com o garoto. Emivaldo Brayan, foi visto pela última vez no dia 4 de março do ano de 2014, enquanto dormia na casa da família em Indiara, no sul de Goiás. Logo após o desaparecimento, a mãe da criança, a empregada doméstica Silmara Borges da Silva, disse na época que procurou pelo filho, mas não o encontrou. Já o padrasto relatou que percebeu que a porta da casa estava semiaberta. O Corpo de Bombeiros fez buscas na região por três dias, sem sucesso.

Na cidade, a falta de respostas sobre o desaparecimento do menino também causou revolta.  “É um mistério que tem que ser resolvido de alguma forma”, afirma a dona de casa Luciene Pereira dos Santos. Falta de respostas
Em outubro de 2014, a Polícia Civil finalizou o inquérito e indiciou o motorista Luiz Paulo da Costa, padrasto de Emivaldo Bryan, por homicídio e ocultação do cadáver da criança. Entretanto, o corpo do menino nunca foi encontrado e, segundo o promotor de Justiça responsável pelo caso na época, Milton Marcolino, não existia provas suficientes que o incriminem e não há como sustentar a denúncia.

“Não tinha um vestígio, uma prova pequena que indicasse que o padrasto tivesse alguma responsabilidade de um homicídio. Não foi encontrada, por exemplo, uma gota de sangue na casa, no carro dele, foram feitas gravações durante praticamente quatro meses e não tem nenhuma conversa em que ele falasse ‘matei aquela criança’, ou ‘dei um sumiço naquele menino’”, explica.

Além disso, o promotor argumentou que o corpo não foi encontrado e ninguém viu a criança. Por esses motivos, o Ministério Público Estadual pediu o arquivamento do caso. Agora com o achado de uma ossada, que será periciada , onde será feito o exame de DNA para comprovar se a ossada é realmente do pequeno Emivaldo. A ossada humana foi encontrada em uma mata, no setor Bela Vista em Indiara nesta tarde de terça-feira (22), o médico da cidade esteve no local e informou a equipe policial que a ossada parece ser de uma criança. A policia técnica cientifica está fazendo todo levantamento possível para identificar a ossada. Quanto a comprovação ou não demorará uns 30 dias para sair o resultado do DNA. Se confirmado o delegado e o promotor poderá reabrir o caso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comantário
Por favor, digite seu nome: