Dois dias após ser baleado em uma tentativa de assalto na BR-153, em Aparecida de Goiânia, o motorista do transporte coletivo Iomar Alves Freitas, de 42 anos, ainda está com a bala alojada no tórax, mas seu estado de saúde é regular. Ao Mais Goiás, a família da vítima informou que a empresa contratante, a Rápido Araguaia, entrou em contato sobre o ocorrido uma única vez, nesta quarta-feira (11).

Por volta das 5 horas da segunda-feira (9), Iomar estava seguindo em uma motocicleta de sua residência, em Aparecida de Goiânia, para a garagem da empresa de ônibus quando um motociclista se aproximou e anunciou voz de assalto. O motorista reagiu e foi baleado no tórax, mas não sem antes entrar em confronto com o agressor.

Mesmo ferido, Iomar conduziu sua motocicleta até a garagem da empresa onde foi socorrido por seus companheiros de trabalho que, posteriormente, chamaram o Corpo de Bombeiros. A corporação esteve no local e realizou o transporte do motorista para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

A filha de Iomar, Thamires de Sousa, de 21 anos, contou que a bala não atingiu a vítima de raspão, como informado inicialmente pelo Corpo de Bombeiros. “Agora conseguiram estabilizar o estado de saúde dele novamente, mas não há previsão de alta porque a qualquer momento pode acontecer como ontem, às 12 horas ele teve uma piora no quadro e precisou ser levado às pressas para a emergência. Só depois das 22 horas é que o estado dele se estabilizou e ele voltou para a enfermaria”, relata.

Segundo Thamires, a bala perfurou o pulmão de seu pai e a equipe médica não informou quando vai ser feita a cirurgia de retirada. Conforme a jovem, o hospital informou que não há risco para Iomar de que o projétil fique alojado, portanto, é mais seguro esperar que o quadro se estabilize antes de qualquer procedimento. No entanto, ela conta que o pai está consciente e se comunica normalmente.

Nesta quarta-feira, pela primeira vez, uma equipe da Rápido Araguaia entrou em contato com a família de Iomar para solicitar dados do homem que atua no local há cerca de quatro anos. De acordo com Thamires, a funcionária da empresa disse que as informações são necessárias para que o homem dê entrada ao benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Não há informações, até o momento, sobre a prisão do autor do disparo que atingiu Iomar. A RedeMob, que administra a Rápido Araguaia, não se posicionou sobre a assistência prestada à família da vítima.

1 Visitas hoje!
6 Total de visitas!

Responder

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui